Blog Redução de Peso

Os adoçantes artificiais podem nos impedir de ganhar peso?


O Dr. Ludwig teorizou que pessoas com muita gordura abdominal poderiam se beneficiar mais substituindo bebidas açucaradas por bebidas dietéticas ou água porque secretam mais insulina, um hormônio que promove o armazenamento de gordura, em resposta ao açúcar. “Alguém que é magro pode não ser tão sensível ao açúcar”, disse ele.

O debate sobre o impacto dos adoçantes artificiais na saúde e no peso corporal se arrasta há décadas. Algumas das primeiras preocupações foram geradas por pesquisas com animais na década de 1970, que sugeriam que os adoçantes artificiais poderiam causar câncer. Mas estudos posteriores em humanos questionaram essas afirmações, e a American Cancer Society, quem revisou as evidências em 2016, entre outros grupos, argumentam que não há evidências claras de uma ligação entre adoçantes de baixa caloria e câncer em humanos.

O impacto dos adoçantes artificiais no peso corporal também é controverso. Ao longo dos anos, alguns estudos observacionais descobriram que as pessoas que consomem muitas bebidas dietéticas têm um risco maior de obesidade, sugerindo que adoçantes artificiais podem alimentar – em vez de prevenir – ganho de peso. Mas os estudos observacionais só podem mostrar correlações, não causa e efeito. Causalidade reversa pode ser um fatorJá que as pessoas com maior probabilidade de usar adoçantes artificiais podem ganhar peso por uma série de razões, como outros fatores dietéticos e falta de exercícios.

Os ensaios clínicos randomizados, que são mais confiáveis, geralmente mostraram que os adoçantes dietéticos ajudam a prevenir o ganho de peso. Um ensaio clínico publicado no New England Journal of Medicine descobriram que quando as crianças que bebiam bebidas açucaradas foram designadas para beber bebidas adoçadas artificialmente, elas tiveram menos ganho de peso e acúmulo de gordura após 18 meses do que as crianças que continuaram a beber bebidas açucaradas.

Outro ensaio clínico Liderados por pesquisadores da Universidade da Carolina do Norte em Chapel Hill descobriram que adultos com sobrepeso e obesos que foram instruídos a parar de bebidas açucaradas por água ou bebidas adoçadas com baixas calorias por seis meses perderam uma média de 2 a 2, 5 por cento do seu peso corporal. Mas o grupo que mudou para água mostrou melhorias significativas em seus níveis de açúcar no sangue, um fator de risco para diabetes, enquanto o grupo que usou adoçantes de baixa caloria não.

O último estudo do Dr. Ludwig e seus colegas está entre os mais rigorosos sobre o assunto até hoje. Suas descobertas apóiam o conselho emitido por grupos de saúde como a American Heart Association, que em 2018 publicou um aviso científico afirmando que o uso de bebidas açucaradas com baixo teor calórico pode ser uma estratégia eficaz para emagrecer, principalmente para pessoas que são consumidores habituais de bebidas açucaradas, que são os maior fonte de açúcares adicionados na dieta americana.

Mas o grupo do coração também alertou que há uma “escassez de evidências sobre os possíveis efeitos adversos” dos adoçantes. Apesar de décadas de uso generalizado, ainda não está claro se consumi-los em excesso por muitos anos pode ter efeitos adversos indesejados à saúde. E eles não são todos iguais. No ano passado, os cientistas da Purdue University publicou os resultados de um ensaio clínico que comparou os efeitos do açúcar e quatro diferentes adoçantes de baixa caloria no ganho de peso em adultos com sobrepeso e obesos.



Este artigo foi escrito em Português do Brasil, baseado em uma matéria de outro idioma. Clique aqui para ver a matéria original. Se desejar a remoção desta publicação, entre em contato no email cc@reducaodepeso.com.br.

Você também pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *