Blog Redução de Peso

A cartilagem cresce nas articulações artríticas de camundongos


Os pesquisadores queriam transformar essas células-tronco despertadas em cartilagem. A receita que funcionou foi tratar células-tronco com proteína morfogenética óssea, que é usada para ajudar a fundir os ossos.

Os cientistas também usaram um medicamento chamado Avastin, que impede as células-tronco de receberem sangue. Ao contrário dos ossos e da medula óssea, a cartilagem não tem suprimento sanguíneo e a droga ajudou a estimular as células-tronco a se transformarem em cartilagem.

Os pesquisadores aplicaram os medicamentos diretamente nas extremidades dos ossos, colocando-os em um gel.

A cartilagem que cresceu nos ratos não só parecia normal, mas durou quatro meses, um quarto da vida dos animais. O Dr. Chan e o Dr. Longaker prevêem um tempo em que os médicos serão capazes de “ressurgir” articulações com artrite ou, melhor ainda, tratar pessoas que estão apenas começando a desenvolver artrite, talvez evitando o tipo de dano que pode nem mesmo as substituições de juntas podem ser reparadas. .

Se a estratégia funcionar em humanos, o tratamento precoce pode ser a melhor abordagem, disse Marx.

“A artrite deforma as articulações e altera os ossos”, disse ele. No momento em que as pessoas substituem os quadris ou joelhos, podem ter ocorrido danos irreversíveis. As pernas podem ficar arqueadas e os ossos danificados.

“Você não pode voltar totalmente o relógio”, disse o Dr. Marx. Na época, ele disse, “adicionar cartilagem não vai consertar”.

Porém, ele está preocupado com o fato de que o ortopedista não espera estudos rigorosos: o método de despertar as células dormentes é relativamente simples e os medicamentos necessários já estão no mercado.

Quando confrontados com um paciente com dor no joelho, os ortopedistas podem ficar tentados a dizer: “Vamos tentar isso. Você não tem muito a perder ”, observou o Dr. Marx.



Este artigo foi escrito em Português do Brasil, baseado em uma matéria de outro idioma. Clique aqui para ver a matéria original. Se desejar a remoção desta publicação, entre em contato no email cc@reducaodepeso.com.br.

Você também pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *