Alzheimer's,Alzheimer’s Disease,Brain Health,Dementia,Guest Articles,memory loss,Short term Memory Loss

5 dicas de cuidados domiciliares para idosos com demência – Blog Credihealth


Pode ser confuso saber a melhor maneira de cuidar de seu ente querido com demência. Existem muitos recursos disponíveis para facilitar o cuidado de uma pessoa idosa com demência, mas nem todos são adequados para a sua situação. Isso é especialmente verdadeiro se você estiver cuidando de seu ente querido em casa.

Você não precisa se sentir desamparado e frustrado se decidir ser o cuidador doméstico do seu ente querido. Os cuidadores são treinados e dedicado com estratégias para ajudar as pessoas novas no atendimento domiciliar que estão passando por dificuldades. A parte mais importante para você, como cuidador domiciliar, é escolher uma estratégia que funcione para seu ente querido mais velho.

Não há dois pacientes idosos com demência que respondam da mesma maneira a uma estratégia de cuidado domiciliar. É por isso que reunimos algumas das estratégias de atendimento domiciliar mais eficazes para ajudar os entes queridos com demência, porque sabemos que encontrar a estratégia certa leva tempo e esforço. Continue lendo para descobrir os métodos de cuidador mais úteis que você pode usar para fornecer ao seu ente querido mais velho a qualidade de atendimento domiciliar que ele merece.

Estabeleça comunicação de rotina

Uma comunicação clara e consistente com seu ente querido pode ser difícil de conseguir se você tiver demência. Uma boa estratégia a ser adotada no início do ciclo de vida da assistência domiciliar é aproveitar o momento o ente querido é mais comunicativo. Isso pode ser durante uma determinada hora do dia, antes ou depois de uma refeição, ou mesmo quando eles estão participando de um hobby ou atividade favorita.

Depois de saber quando é mais fácil se comunicar com seu ente querido, você pode começar a envolvê-lo em questões importantes como higiene pessoal, exercícios e consultas médicas. Pode ser difícil falar com eles sobre esses tópicos se eles estiverem confusos ou frustrados. No entanto, é importante manter um diálogo constante com a pessoa amada com a maior frequência possível.

Sempre fique calmo e seja paciente

Seu ente querido com demência passa por momentos de grande confusão, medo e raiva. Quando você perceber que eles estão ficando agitados, cabe a você manter a calma e ser paciente com eles. Um dos desafios mais comuns que os cuidadores domiciliares enfrentam é permitir que suas emoções assumam o controle.

Como cuidador domiciliar, você nunca quer que seu ente querido sinta que não pode aceitar sua ajuda. Mas se você reagir com raiva quando eles começarem a ficar teimosos, você só vai piorar o problema. Você pode começar a trabalhar nisso prestando mais atenção à sua linguagem corporal e às palavras que diz quando o seu ente querido se recusa ou simplesmente não consegue ouvi-lo.

Às vezes, especialmente quando a pessoa amada simplesmente se recusa a aceitar sua ajuda, a melhor coisa a fazer é apenas ouvir. Ouvir uma pessoa idosa com demência quando ela está chateada ou com medo pode ajudá-lo a descobrir por que ela está resistindo à sua ajuda. Isso o ajudará a manter a calma e a paciência com a pessoa amada, mesmo quando ela está teimosamente respondendo à sua atenção.

Ouça mais do que fala

cuidados de demência para idosos

Muitos cuidadores domiciliares querem ser assertivos com suas palavras. Eles pensam que se disserem a última palavra ao ente querido, será mais fácil para eles cooperar e se comunicar. Mas muitas vezes isso acontece, seu ente querido é realmente quem está tentando falar.

De modo geral, é uma boa ideia deixar seu ente querido falar quando ele ou ela estiver chateado com você durante uma conversa. Você pode não perceber o que os está causando, a menos que pare de falar e os escute. Algo tão simples como o cenário ou a hora do dia pode deixar seu ente querido confuso e frustrado.

Aprenda a ouvir mais seu ente querido palavras e linguagem corporal. Nem sempre é o caso de eles serem óbvios sobre o que os preocupa, então você deve fazer um esforço para ouvir as palavras deles e o seu corpo. Ouvir mais também é uma forma eficaz de melhorar seus níveis de paciência e habilidades como cuidador domiciliar.

Leia também: Demência: mais um sintoma do que uma doença

Saiba mais sobre a demência e como ela afeta seu ente querido

A demência pode ser tão assustadora para o seu ente querido quanto para você. É um distúrbio neurológico que afeta diferentes partes do cérebro. Isso significa que a forma como a demência se manifesta em seu ente querido pode afetar tanto sua personalidade quanto sua memória.

Embora seja difícil e quase sempre desgastante emocionalmente, você precisa se familiarizar com as diferentes maneiras pelas quais a demência pode afetar seu ente querido. Demência sempre resulta em um declínio constante na função cerebral, portanto, é provável que ocorram mudanças de comportamento, humor e memória. Muitos novos cuidadores domiciliares esperam que a demência afete apenas a memória de seu ente querido e, infelizmente, raramente é o caso.

Você pode lidar melhor com as diferentes maneiras como seu ente querido se comportará, compreendendo os diferentes sintomas de demência. O atendimento domiciliar de qualidade considera as mudanças de temperamento e personalidade como parte dos estágios da demência. À medida que a demência do seu ente querido avança para os estágios posteriores, preste atenção em como sua personalidade está mudando e como você pode responder com empatia.

Um pouco de flexibilidade ajuda muito

cuidados de demência para idosos

Como cuidador na casa de um ente querido com demência, alguns dias sempre serão mais fáceis do que outros. É por isso que você precisa ser flexível e aprender a encontrar a pessoa amada no meio do caminho. Isso vai economizar a força mental e emocional necessária.

Você pode acabar perdendo muita energia discutindo com a pessoa amada e ficando frustrado quando não se lembra das coisas. Compreenda que os idosos com demência nem sempre serão capazes de terminar as tarefas que você lhes confia ou de funcionar da maneira que você espera que façam. Nesses casos, mostre empatia e seja legal com eles para mantê-los felizes.

Flexibilidade e empatia simples constroem a base para bons hábitos de cuidado domiciliar. Você se sentirá emocional e mentalmente esgotado se não for flexível com o seu ente querido enquanto o comportamento dele continua a mudar. Lembre-se sempre de colocar a compaixão em primeiro lugar ao aprender como se tornar um cuidador melhor em casa.

Aviso Legal: As declarações, opiniões e dados contidos nestas publicações pertencem exclusivamente aos autores e colaboradores individuais e não à Credihealth ou ao (s) editor (es).

Ligar +91 8010-994-994 e fale com os especialistas médicos da Credihealth para LIVRE. Obtenha ajuda para escolher o médico especialista e a clínica certos, compare o custo do tratamento de vários centros e atualizações médicas oportunas

Solicitar retorno de chamada



Este artigo foi escrito em Português do Brasil, baseado em uma matéria de outro idioma. Clique aqui para ver a matéria original. Se desejar a remoção desta publicação, entre em contato no email cc@reducaodepeso.com.br.

Você também pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *